7 mitos e verdades sobre a caspa

Quem sofre com o problema sabe que, nesta época do ano, a tendência é piorar. Mas dá para evitar e ainda ficar com os fios mais saudáveis. Tire as dúvidas

Ana Bardella 02/06/2018 - 10:00

Afinal, o que funciona para controlar o problema?

Difícil não se incomodar com a cena: olhar no espelho e perceber que o topo da cabeça está repleto de pontos brancos, ainda que o cabelo tenha sido lavado há pouco tempo... Isso sem contar a coceira e às vezes até a presença de sujeira nas roupas, principalmente nas escuras. A verdade é que a caspa, também chamada de dermatite seborreica, pode atrapalhar o dia a dia. O pior é que o problema, que atinge quase metade da população, tende a se intensificar nos dias frios. Conversamos com a dermatologista Íris Flório para saber como é possível mantê-lo sob controle – e, de quebra, deixar o cabelo com o aspecto mais bonito!

1.  A alimentação interfere no aparecimento da caspa.

VERDADE. Nos dias gelados, a vontade de ingerir alimentos calóricos aumenta. Porém, tanto as comidas mais gordurosas quanto aquelas ricas em açúcar podem causar inflamações no corpo (incluindo o couro cabeludo), agravando o problema. Por isso é preciso se controlar!

2. O uso do secador piora a caspa

MITO. Na verdade, o aparelho deve ser encarado como um aliado no combate à dermatite – desde que seja usado da maneira correta. O jato de ar não precisa ser jogado diretamente na raiz (deve sempre estar a alguns centímetros de distância dela). Além disso, a temperatura precisa estar equilibrada: nem fria nem quente demais. Mas use sempre! Evite, por exemplo, dormir com os fios molhados. A umidade propicia a proliferação dos agentes causadores da caspa.

3. Fatores emocionais não têm a ver com a caspa.

MITO. Já está comprovado que o estresse está diretamente relacionado com a piora desse tipo de dermatite. Isso acontece porque o estado de alerta constante prejudica as defesas naturais do organismo, impedindo o combate aos agentes que causam a caspa. Por causa disso, até a queda dos fios pode acabar se intensificando. Estresse altera tudo!

4. Água quente deve ser evitada

VERDADE. Ainda que o dia esteja bem frio, é preciso regular a temperatura do chuveiro para que a água saia morna – e não pelando! Isso porque a quentura em excesso inicialmente resseca o couro cabeludo. Mas depois, percebendo esse efeito, o corpo passa a produzir mais sebo para compensar o ressecamento. Logo, o hábito deixa os cabelos mais oleosos. Água morna ou fria, sempre!

5. Toucas e capuzes pioram a caspa

VERDADE. Muita gente acaba usando essas peças para se aquecer – e às vezes até para esconder o problema. Entre os meninos, principalmente os adolescentes, o uso constante de bonés também é comum. No entanto, é preciso evitar vesti-las sempre porque o tecido acaba abafando o couro cabeludo. Passe a dica para a garotada: deixe o uso de toucas e capuzes apenas para os ambientes realmente frios. Quando estiver em um lugar fechado, retire.

6. No frio, precisamos lavar menos o cabelo.

MITO. Muitas vezes, por causa da baixa temperatura, diminuímos a frequência com a qual higienizamos o couro cabeludo – e esse é um dos principais motivos pelos quais a caspa se torna mais frequente no frio. Em geral, o problema é ocasionado pelo excesso de oleosidade nessa região do corpo, que só pode ser controlada através das lavagens. Esqueça a ideia antiga de que lavar demais o cabelo apodrece o couro: se você sofre com a caspa, é preciso higienizá-lo todos os dias – usando os xampus adequados para o tratamento do problema e secando bem.

7. Existem remédios para o tratamento

VERDADE. Tudo depende do estágio do problema. Nos níveis iniciais, o dermatologista pode indicar o uso de dermocosméticos para serem usados no controle da caspa. Em geral, nos períodos de crise, eles são usados de três a quatro vezes por semana e devem ser intercalados com o uso de xampus neutros. Já quando a dermatite se encontra em um grau mais avançado, é provável que o tratamento seja feito através da ingestão de medicamentos antifúngicos, que impedem a proliferação dos fungos causadores da caspa. De acordo com a especialista, xampus de limpeza profunda devem ser evitados, uma vez que ressecam demais os fios e podem acabar aumentando a produção de sebo. O ideal é procurar um dermatologista para que ele indique os produtos mais indicados para cada caso.