9 mitos e verdades sobre a meditação

Tem dúvidas sobre a prática? Acha impossível conseguir ficar sem pensar em nada? O monge Satyanatha ajuda a responder a essas questões

Ana Bardella 14/11/2017 - 15:00

9 mitos e verdades sobre a meditação

1 Para fazer meditação é preciso silêncio.
Mito. É possível meditar qualquer que seja o local, inclusive nos mais barulhentos. No entanto, para quem ainda está se familiarizando, o ideal é começar em lugares quietos, que facilitam o relaxamento e a concentração. Uma música instrumental ao fundo ajuda.

2 Meditação é uma prática religiosa.
Mito. A meditação conecta as pessoas com “algo que não é desse mundo”, com suas próprias almas. Por ser tão positiva, ela é usada por várias religiões, mas não pertence a nenhuma delas.

3 Crianças podem meditar.
Verdade. Antes dos 8 anos, a criança passa a se familiarizar com o método por meio de brincadeiras. Por exemplo, imitando a posição dos adultos quando eles estão meditando. Ou por meio de exercícios guiados pelos pais, como se concentrar em sons da natureza. A partir dessa idade, elas já são capazes de meditar (às vezes até melhor que os adultos) por um período curto.

4 Ajuda na concentração e alivia o estresse.
Verdade. Nossa mente tende a reagir a tudo o que considera perigoso. E, por isso, às vezes ligamos o botão de “alerta” do corpo com nossas preocupações e nos esquecemos de desligá-lo. Meditar é o mesmo que se desconectar de todos os pensamentos que não fazem sentido. Com isso, a capacidade de prestar atenção melhora e o estresse vai embora. Os medos sem propósito também se vão. É uma espécie de
limpeza, um banho para a mente.

5 Só pessoas calmas conseguem meditar.
Mito. Na verdade, dizer isso seria o mesmo que dizer que só pessoas magras conseguem fazer exercícios físicos. É algo que todos podem fazer para alcançar a paz de espírito. 

6 Para dar certo é preciso ter persistência.
Verdade. Para alcançar os resultados é preciso praticar bastante. É com o passar do tempo que a pessoa vai se aprimorando. Mas todos nós já somos bastante ocupados. Não podemos colocar na cabeça que “precisamos meditar”. A meditação deve ser como um presente que nos damos.

7 É uma prática muito demorada
Mito. Cinco minutos meditando já é o suficiente para começar a notar os resultados, como acalmar a velocidade dos pensamentos e ficar mais tranquilo.

8 Só é possível meditar em uma posição
Mito. Dá para colocar a atividade em prática em várias posições, até mesmo encostada no sofá. No entanto, dois quesitos precisam ser observados: o corpo deve estar confortável e a coluna ereta. Isso é importante porque nossa cabeça é pesada e se o corpo estiver um
pouquinho curvado, passamos a sentir dores. Além disso, manter a coluna nessa posição afasta o sono, algo que também pode atrapalhar
algumas pessoas.

9 A prática tem efeitos positivos sobre a saúde
Verdade. Nosso mecanismo de tensão foi desenvolvido ainda nas cavernas, quando nosso estilo de vida era primitivo. O ser humano não consegue distinguir a tensão entre encarar um chefe bravo ou um tigre que está pronto para atacá-lo. Todo esse estresse é nocivo, tira o sono e joga um monte de substâncias consideradas ruins no nosso organismo. A meditação faz com que a mente não mande tantas mensagens de alerta para o corpo e por isso contribui para a saúde de uma maneira geral, uma vez que todos os processos físicos passam também pela nossa maneira de pensar.

Comece hoje mesmo!

Reunimos quatro dicas do aplicativo Vivo Meditação para quem está começando:
■ Deixe seu corpo tranquilo e relaxe. Sente-se confortavelmente, com as costas eretas (ou apoiadas) e os ombros levemente para trás. Vá se lembrando de cada parte do corpo, agradecendo por seus músculos.

■ Respire com consciência. Observe os efeitos do ar, que entra e traz vitalidade, para você. Aos poucos, puxe o ar mais fundo e deixe que saia lentamente (sem se esforçar).

■ Mergulhe em você. Existe um universo em seu interior. Procure se acostumar com sua própria profundidade, deixando pra lá o futuro e o
passado. Sinta a sua própria presença, aproveitando sua companhia.

■ Ame a você mesmo, sentindo seu coração. Em seguida, sinta esse amor se expandir para a natureza e as pessoas das quais você gosta, até que esse sentimento tome seu corpo.