Como solucionar brigas entre gatos?

É importante que o dono dos animais entenda o motivo das brigas

Por Andressa Zamai, adestradora franqueada da Cão Cidadão 21/06/2017 - 06:29

Os animais só devem ficar soltos no mesmo ambiente com supervisão e caso essa apresentação esteja correndo bem

Gatos são animais territorialistas, que precisam controlar seus recursos (água, comida e caixa de areia) para se sentirem seguros. Eles podem conviver bem em colônias, mas não precisam dos demais para sobreviver e caçar seu alimento.


Por nisso, a chegada de um novo gato na casa pode representar uma ameaça - na visão do felino que já morava lá. É fundamental que a apresentação dos indivíduos seja feita da maneira correta, seguindo um protocolo de introdução.


Antes de apresentar pessoalmente os felinos, mantenha-os em ambientes separados e, com o auxílio de um pano, faça com que eles sintam o cheiro um do outro e associem isso a coisas positivas, como carinho, brincadeiras e comida. Depois disso, eles serão apresentados um ao outro com a ajuda de coleiras peitorais, ou dentro de caixas de transporte. Nesse momento você deve utilizar algum alimento bem gostoso, e interromper o exercício caso algum dos gatos fique muito estressado. Os animais só devem ficar soltos no mesmo ambiente com supervisão e caso essa apresentação esteja correndo bem.


Mas gatos que já convivem, também podem começar a brigar subitamente. Machos não castrados, quando atingem a maturidade sexual, podem ficar mais agressivos em relação aos demais do grupo, principalmente se tiverem outros machos também não castrados ou fêmeas no cio. A castração dos animais tende a solucionar ou amenizar em grande parte esses tipos de problemas.


Outro possível motivo de brigas está relacionado a algum problema de saúde. Gatos com dor, desconforto ou alguma alteração de saúde podem ficar reativos com os demais felinos e até mesmo com seus donos. Por isso, é sempre importante manter a carteira de vacinação dos animais em dia e fazer visitas periódicas ao veterinário. Solucionando o problema de saúde ou tirando a dor do bichano, as brigas normalmente cessam.


Mas lembre-se de que a saída de um dos animais para outro local, como o veterinário, casa de parentes, ou mesmo para banhos, altera seu cheiro característico. Esse pode ser outro fator de briga, já que os demais gatos da casa não reconhecerão aquele cheiro e tratarão aquele indivíduo como um novato. Nesses casos, deve-se seguir o mesmo protocolo de introdução de um novo animal.


Em todos os casos, orientamos sempre que os recursos fiquem espalhados pela casa, e não todos juntos em um único cômodo. A quantidade de caixas de areia deve ser igual à quantidade de gatos, mais uma. E lembre-se de sempre brincar com seus bichanos, oferecer arranhadores e prateleiras, além de rotas de fuga e tocas seguras.


Por fim, nunca tente separar a briga com as mãos, pois você poderá sair bastante machucado. O ideal é fazer algum barulho ou usar um borrifador com água. Caso o problema persista, procure a ajuda de um profissional.